Quando o cartão surgiu no Brasil, em 1968, aquele parecia ser o mais avançado sistema de pagamento existente e foi assim por muitas décadas. Hoje, podemos observar que existe uma verdadeira tendência em relação ao assunto e, na verdade, o futuro é sem cartão. 

Isso mesmo! Não sabe do que estamos falando? Hoje, o pagamento por aproximação do celular e outros modalidades são uma realidade que cresce exponencialmente em todo o mundo. Na China, mais de 60% das compras já são realizadas dessa maneira.

Reunimos alguns mitos e verdade sobre o assunto para você entender melhor essa nova tecnologia. Confira!

É fácil fraudar dados de quem paga sem cartão

Mito! Durante uma transação de pagamento sem cartão, os dados que aparecem na tela do celular de quem está realizando a compra são dinâmicos e dizem respeito apenas àquele pagamento em questão. 

As suas informações são criptografadas e não seria possível para um fraudador criar um clone da sua conta virtual para fazer pagamentos em outros estabelecimentos comerciais.

Em um futuro sem cartão haverá muito roubo de identidade

Mito! As informações que estão contidas no número que é gerado para o pagamento sem cartão não incluem os dados pessoais do dono da conta. 

Isso significa que um fraudador não poderia fingir ser você para cometer crimes e realizar outras ações porque o nome do titular, endereço e telefone não são mostrados para ninguém além de você mesmo.

O pagamento sem cartão é sustentável

Verdade! Você já parou para pensar na quantidade de plástico que já foi gerada no mundo apenas com os cartões que foram produzidos e descartados, desde a tecnologia foi criada? Esse material demora, em média, 400 anos para se decompor aqui na Terra. 

Quanto mais apostarmos em um futuro sem cartão, melhor será para o nosso planeta. 

Neste artigo nós quisemos mostrar para você que apostar nesse método de pagamento é totalmente seguro, cômodo, ágil e, o melhor de tudo, sustentável! Gostou deste assunto? Tem muito mais no blog da Alymente 🙂

Related Post

No Comments

Deixe uma resposta